CENTRO CULTURAL CASARÃO e COLETIVO NOPOK

Coletivo “Nopok” chega ao Centro Cultural Casarão em Barão Geraldo com o espetáculo Carrilhão, no próximo dia 17 de março de 2018, às 19h. Retirada de senhas à partir das 18h. Contribuição no chapéu ao final do espetáculo.

Release:

Carrilhão fala dos mercadores de todos os tempos e lugares. Mascates de hoje, de ontem e de amanhã. Fala da paixão pela charla, do encantamento pelas palavras e pelas ações, e do feitiço inerente a um bom vendedor. Pontua o valor das trocas e dos encontros que se estabelece nas negociações.

Ao adquirir algo, o que se comprou foi o produto ou foram as palavras? Compraram-se os olhos, o sorriso e a simpatia do negociante? Compra-se ou se é comprado? Adquire-se ou se é arrebatado? Que valor tem as coisas?

Sinopse:

 O espetáculo é uma fusão das linguagens do circo e do teatro.

A dupla de artistas se desdobra entre diversos personagens e narrativas, trazendo alegorias de diferentes culturas e épocas.

Alguns números circenses ganham destaque, como a Parada de Mão, o Rola Rola e os Monociclos Altos.

Senhoras e senhores cheguem mais perto! O Carrilhão está agora na sua cidade!

Clique para assistir o vídeo.

Captura de Tela 2018-03-12 às 12.36.24

Por Andrea Desidério.

Anúncios

Teatro do Oprimido por Silvia Dominiquini Medeiros Marino

O teatro é a primeira invenção humana, e é aquela que possibilita e promove todas as outras invenções e todas as outras descobertas, define Augusto Boal (1931-2009).

Segundo o dramaturgo, a essência do teatro consiste no ato humano de auto observação, ou seja, ver-se em ação. O autoconhecimento assim adquirido permite-lhe ser sujeito (aquele que observa) de um outro sujeito (aquele que age).  Para Boal o teatro é uma atividade vocacional de todos os seres humanos.

O teatro do oprimido é um sistema de exercícios físicos, jogos estéticos, técnicas de imagens e improvisações especiais, que tem por objetivo resgatar, desenvolver e redimensionar essa vocação humana, tornando a atividade teatral um instrumento eficaz na compreensão e na busca de soluções para problemas sociais e interpessoais. (Boal, 2002)

O Teatro do Oprimido desenvolve-se em três vertentes principais: educativa, social e terapêutica (O Arco-Íris do Desejo- Método Boal de teatro e terapia, 2002). Educativa porque ensina técnicas de trabalho com o corpo por meio de jogos teatrais que auxiliam no desenvolvimento do ator “nato” em cada ser humano; social porque empresta das questões da vida cotidiana os temas a serem debatidos nas atividades e o material para a produção dos atos a serem levados para apresentação. Terapêutico porque, impreterivelmente neste processo de desenvolvimento os sujeitos acessam e trabalham os afetos do seu corpo, as manifestações de opressões introjetadas, ampliando as possibilidades de compreensão das variáveis e implicações envolvidas na situação analisada.

por Silvia Dominiquini Medeiros Marino

Lançamento da Campanha “Nessa Casa tem Goteira”

No dia 04 de Fevereiro a equipe do Casarão realizou um evento para lançar a campanha “Nessa Casa tem Goteira”, que procura realizar o sonho de arrecadar fundos para realizar reformas e melhorias no “Centro Cultural Casarão”, que é o maior Complexo Cultural do distrito de Barão Geraldo, Campinas/SP.

Você mesmo que está lendo esse post pode fazer parte desse sonho! Basta entrar aqui, ou no link abaixo e ajudar a nossa equipe!

EQUIPE CASAR

Acesse a campanha:  https://benfeitoria.com/nessacasatemgoteira

Pré Casaré

PRE CASARE.jpg

 

O evento bimestral “CASARÉ” vai acontecer no dia 4 de fevereiro a partir das 20h, o evento é um Cabaré de Variedades do Casarão, com a participação de artistas do próprio espaço e convidados nas áreas de música, dança, teatro, circo e performance.

A primeira edição do ano do “CASARÉ” tem como tema o prefixo “PRÉ-” e todas as suas possíveis e inimagináveis inflexões: pré-carnaval, pré-copa, pré-eleições, pré-cario, pré-revolução, pré-visão do tempo, pré-pare o seu coração.

Inspirado por essas e outras variações cômicas sobre o tema o evento contará com a presença dos palhaços da Família Burg, os artistas da Cia ParaladosanjoS e muitas surpresas!

Além disso, durante o evento será feito o lançamento da campanha do crowfunding “Nesta Casa tem goteira” para ampliar as melhorias do espaço que além de público é de todos!

O PRÍNCIPE DU’AZUL

Cartaz dia das crianças.pngMusical infantil para crianças de todas as idades.
“O Príncipe du’Azul” é um sexteto onde todos os integrantes tocam e cantam.
O trabalho 100% autoral tem uma sonoridade que busca valorizar as raízes musicais brasileiras sem deixar de ser contemporâneo. Uma musicalidade alegre, dançante, divertida e atraente, com conteúdo recheado de poemas, mensagens, paisagens e cores que ajudam no saudável desenvolvimento intelectual, emocional e físico da criança.
No show, além de executar músicas o grupo conta histórias e realiza performances teatrais buscando interagir com o público. Uma atividade que “dá bastante corda” para dançar, saltitar e sonhar no imaginário infantil, proporcionando o despertar de sentimentos nobres como a amizade, a solidariedade, a compaixão, a verdade, a veneração, o respeito, o amor pelo próximo e pelos elementos da natureza.

 

Dia 12 de outubro às 17 horas!

O evento tem entrada franca e a colaboração é espontânea no chapéu.
 
Integrantes:
Pedro Ivo – Voz, violão e berimbau
Ale Vilhena – Voz, flauta transversal e percussões
Moreno Overá – Voz e viola caipira
Ricardo Vieira – Xilofone e escaleta
Waldyr Neto – Zabumba
Iago Tojal – Voz e baixo elétrico
 
Tobias Rezende: Animação e comunicação
Denis Jordão: Produção local

Apoio:

Sorveteria Sorvete em Camadas

Praça do Côco

Barulhando: Brinquedos Inteligentes

Casarão das Violas

20988379_1684621571548009_101372680207896232_o.jpg

Programação:

1/09 Sexta Feira
20h Circuito das violas Paulistas : Show com Levi Ramiro, Cícero Gonçalves, João Arruda, Edu Guimarães, Marcelo Falleiros, Dara Pimentel, Marcos Azevedo, Rodrigo Nali e Rafael.
22h Viola Apavorada no quintal do Casarão
Contos e cantos de assombração com Paulo Freire & almas soltas.
(Classificação indicativa: maiores de 12 sem medo de assombração)👹👻👻

02/09 Sábado
20h Vinícius Muniz (J. S. Bach – Viola Brasileira)
20h30 Grupo Conversa Ribeira

03/09 Domingo
17:00h Orquestra Filarmônica de violas convida Ricardo Hertz (violino)
(Primeira sessão)
19h30 Orquestra Filarmônica de violas convida Ricardo Hertz (violino)
(Segunda sessão)

Esse encontro nasce de uma vontade antiga de reunir diversos violeiros no Casarão, já que o nosso espaço vem sendo um importante reduto de violas e cantorias. Por isso, o objetivo desse Casarão das Violas, é dialogar com artistas que estão pensando, tocando, estudando e sonhando com esse instrumento tão precioso para a nossa cultura popular. Trata-se de uma vivência entre plateia e músicos que tem o intuito de celebrar os inúmeros sons da viola caipira e suas diversas possibilidades.