Guaiá de Todos Nós

casarao

Serviço:
Espetáculo “Guaiá de todos nós” – circulação (contrapartida) PROAC 07/2015 – com a Cia BURUCUTU de Itanhaém – SP.
Quando: dia 18/11
Horário: 14hs e 20hs
Local: Centro Cultural Casarão

Obs: na sessão noturna, teremos um bate papo sobre o processo de criação e pesquisa do espetáculo.
Quanto? Entrada na chapéu, que será revertida para a manutenção do espaço.

Blog Casarão: Qual a ideia/tema do espetáculo?

Cia Burucutu. “Guaiá de todos nós” é um espetáculo para toda a família, que elucida de forma singular e ao mesmo tempo plural as histórias, cultura, folclore e culinária do estado de Goiás. Através dos relatos de habitantes da região, da moda de viola, de danças circulares, do teatro popular e do feminino, delicado e ao mesmo tempo desbravador universo de Cora Coralina, a Cia optou em levar para a cena duas atrizes e dois atores/músicos, que recontam as histórias coletadas dos habitantes entrevistados em Goiás Velho, durante a viagem do pré – projeto. As atrizes convidam o público para sua “casa” e os entretêm com uma animada tarde de “convercê”, com direito a um simbólico café da tarde regado de musica ao vivo, personificando toda a hospitalidade e simplicidade do povo de “Guaiá”.

Objetivo

O Objetivo do projeto é Investigar a cultura de Goiás, através de um paralelo entre a cultura nacional e as poesias de Cora Coralina. Esse foi um desafio que a Cia Burucutu se impôs no sentido de pluralizar e individualizar ao mesmo tempo a riqueza cultural da região, ouvir os moradores locais, entender sua oratória, tempo e sentimento com os quais a pessoa comum compõe o seu universo de “sapiência”, a influência de seus antepassados, o narrar de histórias pessoais ou do coletivo. A cadência inebriante dos “causos” contados de forma simples, embalados pela de viola ou pela cadência da métrica e rima sutil das poesias de Cora.

Justificativa

Colocar o público em contato com a cultura Goiana, de forma tão natural e familiar que dispense a quarta parede teatral, num espetáculo para todas as idades, conjunto, fluído, de senso comum, que desperte a memória dos mais velhos, de forma sensorial e subliminar, repleta de música, costumes, sabores e “causos” contados pelos nossos avôs e que maravilhe os mais novos com toda a expressão lúdica da história de um povo contada por ele próprio.
Para acomodar todas as histórias coletadas, assim como ambientá-las de forma interessante e confortável para o público, a Cia optou em buscar vários elementos que unam platéia e atores num único coletivo. Entre esses elementos estão a música, a acomodação intimista do cenário, as danças circulares, a culinária e o teatro sensorial.

Blog Casarão. Fale um pouco sobre a trajetória do espetáculo e a turnê atual.

Cia Burucutu. O espetáculo foi criado com apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC 07/2015 – PRODUÇÃO DE ESPETÁCULO INÉDITO E TEMPORADA DE ARTES CÊNICAS PARA O PÚBLICO INFANTIL E/OU JUVENIL), da Secretaria de Estado da Cultura. Entre o trabalho de pesquisa em Goías Velho (GO), onde coletamos relatos e musicas dos habitantes e o processo de criação e ensaios, o espetáculo demorou 8 meses para ser montado. No momento estamos cumprindo a temporada (contrapartida) do edital, onde viajamos por 5 cidades, realizando duas sessões em cada. As cidades atendidas até o momento foram: Taquaritinga, São José do Rio Preto, Gavião Peixoto, Araraquara, Santo André e agora faremos a última apresentação da temporada em Campinas. No dia 27/11, o espetáculo começa sua nova circulação, dessa vez por unidades SESC (SP), começando pelo SESC Rio Preto (São José do Rio Preto) e agenda segue em 2017.

Blog Casarão. Fale um pouco sobre a trajetória dos artistas/elenco.

Cia. Burucutu. A Cia. BURUCUTU foi fundada no ano de 2002, em Araraquara, interior de São Paulo e hoje se encontra radicada em Itanhaém, litoral Sul do estado. Fundada pela atriz Carla Tito e pelo músico/ator Cristiano Russo, a Cia sempre teve como principais objetivos a união de diversas linguagens artísticas e o resgate de obras literárias fundamentais. Durante seus treze anos de vida, a Cia sempre encantou o público com versões inusitadas de histórias já conhecidas, brincou com o imaginário, recontando obras já pertencentes ao senso comum, de sua forma, contextualizando-as no seu fazer teatral. Atuando tanto no teatro infantil como no adulto, a Cia. conquistou lugar em importantes eventos culturais e tem em seu currículo apresentações por diversas unidades SESC, SESI, Festivais, Projetos Culturais entre outros. Atualmente, a Cia. se dedica principalmente ao público infantil, recontando de forma lúdica e criativa, clássicos da literatura universal.

Alguns Festivais, Mostras e Projetos que a Cia participou:
Mapa Cultural Paulista 2002, 2003 e 2004, Ocupação – Teatro Wallace Leal Valentin Rodrigues 2003 – Araraquara, SLAMC 2004, 2006, 2013, 2014 – Araraquara, Autos de Natal Araraquara – 2002, 2004, 2006, 8º FESTAETT – Tupã, 8º FETEAP – Festival de Paraguaçu Paulista, FESTARA 2009 – Festival de teatro de Araçatuba, 37º FENATA – Festival Nacional de Ponta Grossa, 10º Festival de Penápolis, Virada Cultural Paulista 2010, 6º Prêmio Manoel Lyra – Sta. Bárbara d´Oeste, FTI – 4º Festival de teatro Infantil de Salto – APAA, Virada Cultural Paulista 2011, SESI Araraquara – Projeto Palco de Encontros, Festival MS Em Cena – Três Lagoas – MS, Virada Cultural Paulista 2012, Projetos Locais 2012 – SESI (Rio Claro, Piracicaba, Campinas e Botucatu), 1ª Mostra de teatro infantil – Ariovaldo dos Santos (Araraquara), Festival em Janeiro Teatro pra Criança é o Maior Barato – 2013 (Rio Preto), Maratona Infantil – MIS – 2013, 1º PEC 10 – Festival de pequenas cenas (Araraquara), Shakespeare in the streets – Mostra internacional de teatro de rua, Virada Cultural Paulista 2014, Mostra CIRCONECO – SESC Sorocaba, Emcena Brasil 2014 (Franco da Rocha), Festival em Janeiro Teatro pra Criança é o Maior Barato – 2015 (Rio Preto), Maratona Infantil – MIS – 2015 (3 edições), Virada Cultural SP 2015, Projeto Conexão Cultural Tigre ICRH 2015 -Palco Móvel (Lei Rouanet, circulação nacional, São Paulo, Minas Gerias, Alagoas, Pernambuco e Bahia, PROAC 07/2015, Festival de teatro Infantil Center Norte 2016, Festival Fartura 2016.

Breve Currículo dos principais envolvidos

Luiz Carlos Laranjeiras (Diretor)

Luiz Carlos Laranjeiras é ator, diretor, dramaturgo, diretor musical, compositor, ator-educador, mestre em Filosofia e doutorando em Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes da USP. Como diretor, assinou também a direção musical e as composições, destaque para “As patacoadas de Cornélio Pires”, “A casa de dentro da gente”, teatro musical brasileiro para a infância e a juventude, com a Caixa de Histórias/SP, “Sabiás do sertão”, com a Cia Cênica/SP, “Sinhá Rosita”, de Garcia Lorca, com o Teatro da Cadela Manca/PR, “Um, dois, três, tá com você”, com a Farândola Trupe/SP e “Labirinto de Januário”, de IloKrugli, teatro de rua com o Teatro do Labirinto/SP. De 1981 a 1997 participou do Teatro Ventoforte/SP como ator, cenógrafo e ator-educador, prêmios INACEN e Mambembe SP 1983, com Brinquedo da noite, APCA, Governador do Estado/SP e APETESP 1985, com Labirinto de Januário, espetáculo estrangeiro de 1988 em Cuba com História de lenços e ventos, atuou em A Tempestade, História do barquinho, As quatro chaves e Choro Lorca, em festivais nacionais e internacionais de teatro de rua, teatro de animação e teatro de grupo na Argentina, Peru, Cuba, Espanha e Portugal.

Carla Tito (Atriz)

Carla Tito é atriz, coordenadora cultural do Espaço Cultural Cia Burucutu, professora de expressão corporal e dança contemporânea, diretora de teatro, fundadora e diretora da Cia Burucutu de teatro, escritora e roteirista. Formada em Letras pela UNESP – Universidade Estadual Paulista, em Turismo pela CEETPS e atriz pelo Curso Técnico ator NEA – Núcleo de ensino artístico “Maestro José Tescari”. Como atriz, trabalhou nas montagens Alice, direção de Bernadete Passos (1994), No tempo da Apoteose, direção de Vic Militello (1996), Uma Anedota (Circo Teatro), e A Raiz Maravilhosa, direção de Laura Guidolin (1996). De 1997 a 2001 trabalhou na Cia Polichinelo de teatro de bonecos e como roteirista, diretora e atriz assina os trabalhos da Cia Burucutu desde 2002. Cursos e oficinas que participou: Projeto mar-a-tonaii, Edna Portari (voltado para circo teatro), Expressão vocal, Tato Ficher, Expressão corporal, Patrícia Viana, Oficina sobre Grotovisk, Jairo Mattos, Riso em cena, Os Parlapatões, Descobrindo o próprio Clown, Gabriel Guimardi, Técnicas circenses, Rodrigo Mateus, Oficina de atores, Beto Silveira, Oficina de técnicas teatrais, Cia Vostok (Russia), O palhaço em três dimensões, Circo Davinci (Argentina), Palhaçaria geral, Helena Figueira.

Kely de Castro (Atriz – convidada)

Kely de Castro é Doutoranda em Artes Cênicas pelo Instituto de Artes da UNESP, estuda a trajetória do Grupo Sobrevento sob orientação do Prof. Dr. Wagner Cintra. É Mestra em Artes Cênicas pela ECA/USP, com orientação do Prof. Dr. Felisberto Sabino da Costa e com apoio da FAPESP, sua pesquisa intitulada “O Ator no Teatro de Animação Contemporâneo: Trajetórias Rumo à Criação da Cena” foi defendida em dezembro de 2009. Atuou durante 4 anos na Cia Truks. Participou do processo de criação e atuou como atriz-manipuladora da personagem protagonista do espetáculo Por Uma Estrela, que estreou em outubro de 2012 em temporada no Sesc Pompéia. Esta foi indicada ao prêmio FEMSA de Teatro em categoria especial pelo “domínio da técnica em manipulação de bonecos”. De 2009 a 2013 atuou como atriz-manipuladora nos espetáculos de repertório da companhia, dirigida por Henrique Sitchin: A Bruxinha, O Senhor dos Sonhos, Cidade Azul, Vovô, Gigante, Big Bang, Os Vizinhos e Isto Não É Um Cachimbo. Atua também como arte educadora onde realizou trabalhos nas Oficinas Culturais do Estado de São Paulo, Festival Artes Vertentes, SESC Bom Retiro, Projeto Mosaico Teatral, PROAC 2012 – Cia Truks, SESC Bauru, Estágio Ensino Superior – Programa PAE-ECA-USP: Programa de aperfeiçoamento do ensino da Escola de Comunicação e Artes da USP.

Cristiano Russo (musico/ator)

Cristiano Russo é ator, músico e produtor executivo do Espaço Cultural Cia Burucutu, fundador e produtor da Cia Burucutu de teatro. Estudou musica no Conservatório Dramático e Musical “Drº. Carlos de Campos” – Tatuí. Trabalhou como iluminador e sonoplasta na Cia Polichinelo de teatro de bonecos de 1998 a 2001. Atua como ator e assina a direção musical, composição musical e cenografia dos espetáculos da Cia Burucutu desde 2002. Como compositor, assina a trilha sonora de vários espetáculos da Cia Polichinelo, Cia TEXC e Cia Suno (Ensaio Sob a Chuva). Cursos e Workshops que participou: Semana de estudos teatrais – Unesp – Teatro de Revista – Neyde Veneziano, Oficina de Técnicas Teatrais – Cia Vostok (Russia), O Palhaço em três dimenções – Circo Davinci (Argentina), Os Ressonadores Corporais – Renata Torraca, Palhaçaria Geral – Helena Figueira, O Palhaço e seus Objetos, Helena Figueira e Duba Becker.

Vinícius Camargo (musico/ator – convidado)

Vinícius Camargo é cantor, violonista, compositor e ator. Assina a direção musical da Cia Animalenda e do Clube Atlético Amigos Unidos do Quintal. Divulgou seu primeiro CD, Vinícius Camargo “em Risco”, em 2010, com destaque para o lançamento no SESC Osasco, no Projeto Ecos Musicais em 2011. Prepara agora, o primeiro CD do Unidos do Quintal baseado no repertório do show que estreou em 2015, no SESC Pinheiros. Fundou com Kely de Castro a Cia AnimaLenda, em 2010, na qual atua como músico e ator. A Cia produz contações de histórias, espetáculos e intervenções teatrais diversas, sempre relacionando manipulação de bonecos e música, com destaque para o espetáculo “A Moça da Janela”, apresentado em 4 Estados e dezenas de cidades entre festivais, eventos, Unidades do SESC e na circulação do Projeto Emcena Brasil. Atuou como músico formador no Projeto de “Boca Aberta”, da Prefeitura de São Roque-SP, aplicando oficinas de capacitação em música para os professores da rede municipal e atuando na formação de corais infantis nas escolas da cidade durante o ano de 2011. Estudou e trabalhou por diversos anos com canto coral. Formou-se arquiteto na UNESP, em 2005, área em que tem larga produção criativa durante os últimos 10 anos.

 

Ficha Técnica:

Texto/Autor: Trabalho conjunto realizado pelo grupo, baseado nos relatos dos moradores de Goiás Velho (GO)
Direção: Luiz Carlos Laranjeiras
Direção musical: Luiz Carlos Laranjeiras
Arranjos: Cristiano Russo e Vinícius Camargo
Composições musicais originais: Luiz Carlos Laranjeiras e Vinícius Camargo
Concepção: Carla Tito
Atrizes: Carla Tito e Kely de Castro
Músicos/Atores: Cristiano Russo e Vinícius Camargo
Figurinos: Carla Tito
Cenografia: o Grupo
Desenho de luz: Cristiano Russo
Identidade audiovisual: Andress Correa
Apoio técnico: Higaro Rosales
Produtor executivo: Cristiano Russo
Direção de Produção: Carla Tito
Produção: Cia BURUCUTU
Duração: 55 minutos
Faixa Etária: Livre

Tema: O feminino
Conteúdo: Contos, causos e folclore de Goiás

Gênero: Drama

burucutu_1

Receita Guaiá
Observação: Esta receita não tem contra indicação quanto à idade.
Tempo de preparo 55 minutos.

Ingredientes *

1 punhado de histórias e músicas dos moradores de Goiás Velho (GO)
2 atrizes (Carla Tito e Kely de Castro)
2 atores / músicos (Cristiano Russo e Vinícius Camargo)
1 diretor (Luiz Carlos Laranjeiras)
2 compositores musicais (Luiz Carlos Laranjeiras e Vinícius Camargo)
1 – rapazinho que faz um pouco de tudo (Higaro Rosales)
1 viola, 1 cavaquinho, 1 sanfona, 1 violão e 1 bom pandeiro de couro.

Modo de preparo

1 – Misture todos os ingredientes acima, junte com 2 pitadas de histórias de medo e assombração, 1 naco de romance e aventuras de ouro, acrescente musicas regionais, raspas de coco de roda, catira e adoce com uma serenata.
2 – Deixe curtir no molho da poesia de Cora Coralina, polvilhe com um punhado de risadas, musica ao vivo e mentiras de boa intenção.
3 – Asse numa panela de ferro com um testo de borralho em cima.
4 – Sirva para toda família numa tarde de convence e coe um café.

Anúncios