Campanha Casarão 2018

Estamos em campanha! Melhorias na infraestrutura do Centro Cultural Casarão são necessárias para que as atividades comunitárias, artísticas e culturais sigam funcionando em boas condições. A campanha financeira Nessa Casa Tem Goteira requisita contribuição financeira daquele e daquela moradora do Distrito de Barão Geraldo que puder contribuir. O espaço é público e é nosso! Precisa de um local para desenvolver atividades comunitárias, apresentar espetáculos, organizar encontros? Junte-se ao coletivo! A reunião para agendar atividades é na primeira segunda feira do mês, chega mais!

 

Para colaborar basta acessar o link: https://benfeitoria.com/nessacasatemgoteira

Anúncios

Um Banquete para Tamora

Peça: Um Banquete para Tamora
duração aprox: 1hora
Adaptação livre de Titus Andronicus de William Shakespeare, com enfase na pesquisa sobre os Gestos do doutorado de Igor Capelatto, pela Unicamp, na área de Multimeios, com orientação do Prof Dr. Ernesto Giovanni Boccara.

A peça traz uma linguagem surrealista (atemporal e não-espacial) mesclando steampunk, cyberpunk, barroco, colagem, readymade e assemblage. Com o foco no gesto, a peça visa enfatizar o corpo enquanto forma e linguagem (narrativa cultural do corpo), e a subjetividade do gesto (suas variadas interpretações), com base nos estudos de Agamben, Benjamin, Flusser, Eco, Galard, Francine Simões, entre outros.

O elenco conta com o apoio, carinho e dedicação de 8 atores voluntários: André Luis, AV Junior, Jaqueson Luiz Silva, Laura Cesarini, Luis Henrique Bento, Nando Almeida, Tiago Monteiro, Tiemi Kimura; a dedicação e fabulosa arte de Rafael Ghiraldelli (diretor de arte da peça), Fernanda Pupo e a equipe de arte com Vadermar Queiroz Jr, Larissa Souza e Tiago Francis; a música maravilhosa adaptada e original de Carlos Cassim, com mixagem e captação de Daniel Chinelatto com participação dos amigos Fernando Lacerda e Fa Bonilha, além das bandas Acron e Jewel Box.

A produção é de André Farias (com apoio da APA).

A concepção e direção é de Igor Capelatto.

A peça narra a história do General Titus que volta de uma guerra de longos 10 anos, com alguns de seus filhos e soldados mortos, não tem mais forças para continuar governando sua pátria e designa seu cargo militar a seu filho Lucius e o cargo político a um membro do senado Saturninus. Em meio a desavenças com seus inimigos Aaron e Tamora (e seus dois filhos), Titus jura vingança e um efeito dominó de vinganças vai desenrolando.

Com a vingança em seu ápice, a peça discute além da própria vingança, o papel da mulher na sociedade, o papel da política, o papel da família e a violência.

Outro importante signo da peça, que serve como estética visual e narrativa (simbolismo), é o banquete que na peça de Shakespeare serve como amarra e climax de toda trama, pelo qual a narrativa do alimento (comida, cozinhar, servir, degustar) se torna elemento compositor de tudo que se desenvolve em torno de Titus.

A peça terá pre-estreia no final de junho de 2018, no Centro Cultural Casarão, em Barão Geraldo, Campinas, SP, que tem nos apoiado com espaço para ensaios e apresentação.

Por fim, além de todo esses apoios, a peça conta com uma campanha de arrecadação de doações (apoio cultural e patrocínio).

 

Reestreia Meia Hora

Reestreia Meia Hora: Um rádio espetáculo pelo fim da violência contra as mulheres

Inspirado nos programas de notícias de rádio e tendo a máscara como mote, a bailarina Daniela Alvares Beskow reestreia o solo Meia Hora: Um rádio espetáculo pelo fim da violência contra as mulheres. O trabalho foi lançado em agosto de 2017 na abertura da Mostra Seda em Campinas e chega em novo formato em 2018. O tema do espetáculo é a violência contra as mulheres no Brasil. A máscara com os olhos fechados propõe metáforas para abordar as estatísticas de mulheres violentadas todos os dias no país: sem rosto, se transformam em números, sujeitos tornados desconhecidos no discurso público. A não visão e a relação com o espelho também propõe um questionamento da construção social da feminilidade, que reflete o que não vê, promovendo um distanciamento de si, mediado pelas expectativas sociais do que é ser mulher. Meia Hora é um programa de rádio que se passa em 2028 e apresenta o seguinte panorama: não há mais violência contra as mulheres no Brasil. O espetáculo propõe as reflexões: que tramas sociais queremos construir e quais queremos destruir? A reestreia conta com a parceria de Maíra Prates na criação da iluminação. O texto dramatúrgico é o primeiro de Daniela Alvares Beskow, que é também escritora.

Meia Hora: Um rádio espetáculo pelo fim da violência contra as mulheres
Concepção, dramaturgia e execução: Daniela Alvares Beskow
Criação da iluminação: Maíra Prates
Fotografia: Nina Pires
Duração: 30-40 min.
Faixa etária: 14 anos

Captura de Tela 2018-03-12 às 16.41.51

Por Daniela Alvares Beskow

CENTRO CULTURAL CASARÃO e COLETIVO NOPOK

Coletivo “Nopok” chega ao Centro Cultural Casarão em Barão Geraldo com o espetáculo Carrilhão, no próximo dia 17 de março de 2018, às 19h. Retirada de senhas à partir das 18h. Contribuição no chapéu ao final do espetáculo.

Release:

Carrilhão fala dos mercadores de todos os tempos e lugares. Mascates de hoje, de ontem e de amanhã. Fala da paixão pela charla, do encantamento pelas palavras e pelas ações, e do feitiço inerente a um bom vendedor. Pontua o valor das trocas e dos encontros que se estabelece nas negociações.

Ao adquirir algo, o que se comprou foi o produto ou foram as palavras? Compraram-se os olhos, o sorriso e a simpatia do negociante? Compra-se ou se é comprado? Adquire-se ou se é arrebatado? Que valor tem as coisas?

Sinopse:

 O espetáculo é uma fusão das linguagens do circo e do teatro.

A dupla de artistas se desdobra entre diversos personagens e narrativas, trazendo alegorias de diferentes culturas e épocas.

Alguns números circenses ganham destaque, como a Parada de Mão, o Rola Rola e os Monociclos Altos.

Senhoras e senhores cheguem mais perto! O Carrilhão está agora na sua cidade!

Clique para assistir o vídeo.

Captura de Tela 2018-03-12 às 12.36.24

Por Andrea Desidério.

Teatro do Oprimido por Silvia Dominiquini Medeiros Marino

O teatro é a primeira invenção humana, e é aquela que possibilita e promove todas as outras invenções e todas as outras descobertas, define Augusto Boal (1931-2009).

Segundo o dramaturgo, a essência do teatro consiste no ato humano de auto observação, ou seja, ver-se em ação. O autoconhecimento assim adquirido permite-lhe ser sujeito (aquele que observa) de um outro sujeito (aquele que age).  Para Boal o teatro é uma atividade vocacional de todos os seres humanos.

O teatro do oprimido é um sistema de exercícios físicos, jogos estéticos, técnicas de imagens e improvisações especiais, que tem por objetivo resgatar, desenvolver e redimensionar essa vocação humana, tornando a atividade teatral um instrumento eficaz na compreensão e na busca de soluções para problemas sociais e interpessoais. (Boal, 2002)

O Teatro do Oprimido desenvolve-se em três vertentes principais: educativa, social e terapêutica (O Arco-Íris do Desejo- Método Boal de teatro e terapia, 2002). Educativa porque ensina técnicas de trabalho com o corpo por meio de jogos teatrais que auxiliam no desenvolvimento do ator “nato” em cada ser humano; social porque empresta das questões da vida cotidiana os temas a serem debatidos nas atividades e o material para a produção dos atos a serem levados para apresentação. Terapêutico porque, impreterivelmente neste processo de desenvolvimento os sujeitos acessam e trabalham os afetos do seu corpo, as manifestações de opressões introjetadas, ampliando as possibilidades de compreensão das variáveis e implicações envolvidas na situação analisada.

por Silvia Dominiquini Medeiros Marino

Lançamento da Campanha “Nessa Casa tem Goteira”

No dia 04 de Fevereiro a equipe do Casarão realizou um evento para lançar a campanha “Nessa Casa tem Goteira”, que procura realizar o sonho de arrecadar fundos para realizar reformas e melhorias no “Centro Cultural Casarão”, que é o maior Complexo Cultural do distrito de Barão Geraldo, Campinas/SP.

Você mesmo que está lendo esse post pode fazer parte desse sonho! Basta entrar aqui, ou no link abaixo e ajudar a nossa equipe!

EQUIPE CASAR

Acesse a campanha:  https://benfeitoria.com/nessacasatemgoteira

Pré Casaré

PRE CASARE.jpg

 

O evento bimestral “CASARÉ” vai acontecer no dia 4 de fevereiro a partir das 20h, o evento é um Cabaré de Variedades do Casarão, com a participação de artistas do próprio espaço e convidados nas áreas de música, dança, teatro, circo e performance.

A primeira edição do ano do “CASARÉ” tem como tema o prefixo “PRÉ-” e todas as suas possíveis e inimagináveis inflexões: pré-carnaval, pré-copa, pré-eleições, pré-cario, pré-revolução, pré-visão do tempo, pré-pare o seu coração.

Inspirado por essas e outras variações cômicas sobre o tema o evento contará com a presença dos palhaços da Família Burg, os artistas da Cia ParaladosanjoS e muitas surpresas!

Além disso, durante o evento será feito o lançamento da campanha do crowfunding “Nesta Casa tem goteira” para ampliar as melhorias do espaço que além de público é de todos!